A Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística - CENTRAL - tem origem nos primórdios da ferrovia no Brasil, sendo remanescente do processo de construções de ferrovias, estatização e fusão de empresas, erradicação de linhas e, por fim, cisão e privatização.


Houve, portanto, ciclos de expansão e retração e de estatização e privatização, que se iniciaram em 1854 com a inauguração da 1ª Ferrovia do Brasil, ligando as estações de Guia de Pacobaíba, no Porto de Mauá, e Fragoso, Raiz da Serra, ambas no Município de Mauá, Rio de Janeiro.


Em 1855, foi decretada a construção da Estrada de Ferro D Pedro II, cujo primeiro trecho(inaugurado em 1858) ligava a Estação da Corte (atual D Pedro II) à Estação de Queimados, RJ.


Deposta a monarquia, a Estrada de Ferro D Pedro II passou a denominar-se Estrada de Ferro Central do Brasil, que, após incorporar pequenas ferrovias privadas e parte da EF Leopoldina, foi também incorporada pela Rede Ferroviária Federal- RFFSA, em 1957, juntamente com outras dezessete estradas de ferro de todo o Brasil.


Em 1984, houve cisão da RFFSA, que transferiu a gestão dos serviços de trens urbanos de passageiros para a Companhia Brasileira de Trens Urbanos- CBTU. Uma década depois, em 22 de Dezembro de 1994, foi criada a FLUMITRENS e os serviços de trens urbanos de passageiros foram estadualizados. Em 1998, a maior parte desses serviços foi entregue à gestão privada e a FLUMITRENS absorveu missões e atividades de estado.


Em Maio de 2001 , foi criada a CENTRAL, Cia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística, que assumiu as funções de transporte ferroviário, bem como por decisão posterior, o Sistema de Bondes de Santa Teresa, devido à cisão empresarial da FLUMITRENS, ora em liquidação.
A evolução histórica do controle da CENTRAL pode ser resumida no quadro abaixo.

    Realizações:

    • Comissão mista – Elaboração do Relatório Final da Comissão Mista (e posterior envio a Setrans), atestando investimentos realizados pela Concessionária SuperVia no período de 2011 a 2015, e comparando os mesmos com as “metas” previstas nos 8º e 9º Termos Aditivos, através da metodologia abaixo :
    • Vistoria de campo realizada nas instalações da Concessionária por equipes multidisciplinares com registro por meio de fotos e relatórios (Inspeção Visual);
    • Verificação da consistência dos documentos fiscais e contábeis, apresentados pela Concessionária que atestavam esses investimentos (Inspeção Documental).

     

    • Trens Chineses – Monitoramento e desenvolvimento das soluções técnicas relativas aos problemas operacionais existentes nos 100 trens fornecidos pelo Consórcio CRCC, através das reuniões periódicas realizadas pela Comissão Multidisciplinar (Poder Concedente, Concessionária, Fornecedores e Subfornecedores), no tocante a :

    • Falhas de projeto;
    • Falhas de componentes aplicados;
    • Necessidade de extensão de garantias;
    • Transferência de tecnologia para equipes de manutenção da Concessionária;

     

    • Coordenação da análise de projetos para restauro da Estação Barão de Mauá, em parceria com a  Secretaria de Estado de Cultura, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac);
    • Publicação dos Balanços Patrimoniais dos Exercícios de 2013, 2014 e 2015, que estavam pendentes de aprovação;

     

    • Negociação com a Alstom relativa à entrega de 2(dois) trens de 8 carros em reciprocidade ao pagamento dos serviços realizados de 2017 que encontravam-se pendentes.
      • Desenvolvimento do projeto “Santa Teresa a todo Vapor”, contemplando investimentos na manutenção e modernização do Sistema, redução do headway, nova comunicação visual e parcerias com as Associações de Comerciantes (Amesanta) e de Moradores (Amast) de Santa Teresa.

       

    ÓRGÃO

    SIGLA

    PERÍODO DE GESTÃO

    INÍCIO

    FIM

    E.F. Central do Brasil

    EFCB

    Império

    30/09/1957

    Rede Ferroviária Federal

    RFFSA

    30/09/1957

    21/02/1984

    Cia. Brasileira de Trens Urbanos

    CBTU

    21/02/1984

    21/12/1994

    Cia. Fluminense de Trens Urbanos

    FLUMITRENS

    22/12/1994

    05/2001

    Concessão Supervia

    01/11/1998

    Até a presente data

    Cia. Estadual de Eng. de Transportes e Logistica

    CENTRAL

    05/2001

    Até a presente data